Há várias formas de integrar a natureza e as construções. Além da beleza, os benefícios dessa integração são muitos.

Você encontrou o terreno ideal para construir, porém, nele tem uma árvore, bonita e saudável. O que você faz? Você pode retirar toda vegetação do terreno e seguir com a construção. Mas há quem prefira deixar a árvore lá e adaptar a estética da construção à ela, integrando todo projeto à natureza já presente. E essa é uma ótima opção! Além de contribuir para preservação da natureza, sua casa ganha um toque único e particular, que vai trazer ainda mais personalidade, harmonia e conforto ao seu projeto.

0_zUOuY0G-WvCIp0_x
No Rio de Janeiro há um belo um exemplo dessa experiência. O arquiteto Alessandro Sartore, seguindo as diretrizes do proprietário do terreno e colecionador de arte, Rodrigo Quadrado, manteve uma mangueira como ponto focal de toda área de convivência (living, sala de jantar, de tv e cozinha) e ainda integrou com o restante dos ambientes da residência e com o jardim externo que entorna toda a construção.

A matéria completa da CasaVogue sobre essa residência, você confere aqui.

Arquitetura orgânica, se caracteriza quando a natureza já está no terreno e o projeto da construção a abraça, tornando o processo mais natural, menos invasivo e mais agradável em todos os sentidos.

Criado pelo renomado arquiteto Frank Lloyd Wright, o conceito diz que “a arquitetura não é um escudo, mas sim uma ponte para a natureza” e que após a construção de uma casa ou edifício a paisagem deve ficar mais bonita do que era. Para ele, um prédio pode ser “plantado” em qualquer lugar, mas uma vez que ele é integrado à paisagem dos arredores ele se torna único e mais natural, por isso arquitetura orgânica.

O projeto mais icônico idealizado por Wright é a casa Fallingwater, localizada em Mill Run, Pensilvânia. Quando todos pensavam que o arquiteto projetaria a residência em oposição a cachoeira para que tivesse uma visão privilegiada, ele a projetou no topo, para que os usuários ouvissem e “sentissem” a queda d’água. Esse outro olhar posicionou a construção como parte daquela paisagem, integrando obra e natureza em uma composição singular.

3b8ded63f4b3b40114a3b1b055687ee1

 

Falling Water 2013

 

Construída entre 1936 e 1939, é considerada um marco histórico nacional e Patrimônio Mundial da Unesco, e recebe turistas de todo mundo desde 1964. Mais de 4,5 milhões de pessoas já visitaram o empreendimento.

Para conhecer mais sobre esse projeto, visite o site da Garden Collage.

 

Balcony gardens – natureza em sua varanda

Em Curitiba, o Arbo Cabral nasceu como um empreendimento que integra a natureza e construção e as coloca em excelente sintonia. Em todas as varandas, existirão vegetações plantadas cuidadosamente para que se desenvolvam proporcionalmente e de forma saudável no espaço pensado para abrigá-las, deixando o empreendimento ainda mais harmônico com o ambiente que o cerca.

Projetado pelo arquiteto José Luiz Smolka e com o paisagismo planejado pelo Escritório Burle Marx, o edifício busca proporcionar ao morador conforto em um edifício que tem a sustentabilidade como um dos conceitos norteadores do seu projeto.

Clique aqui para saber mais sobre a sustentabilidade do Arbo Cabral.

Para conhecer o projeto completo do Arbo Cabral, acesse www.arbocabral.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *